. . . . Intercâmbio em Londres e a realização de um sonho - Mania de Organizar e Viver Saudável

Intercâmbio em Londres e a realização de um sonho

londres
Londres


Intercâmbio em Londres

Há tempos queria contar sobre o intercâmbio que minha filha fez em Londres. Mas sempre achei muito difícil, porque não saberia colocar tudo num post. Então, pensei em entrevistá-la. Achei que seria mais fácil se ela respondesse algumas perguntas.

No início, quando pedi que me falasse sobre o assunto, ela resistiu um pouco. Disse que ficaria triste por sempre querer voltar a Londres. Lembrar, traria alegrias, mas uma certa saudade, um gostinho de “quero mais”. Mas, depois concordou em responder minhas questões.

Demorou um pouco, por causa da falta de tempo dela em escrever as respostas. Resolvi então usar outra técnica e pedi que gravasse áudios com as respostas. Assim ficaria mais fácil para mim e para ela.

A realização de um sonho

Quando surgiu a ideia do intercâmbio, eu como mãe, sabia que seria possível em termos de finanças. Havíamos nos preparado para isso, como contei em Intercâmbio em Londres – um sonho possível. Mas, confesso que tinha um certo receio. Deixar minha filha sair do país, sozinha? Seria uma loucura se permitíssemos isso! Como mãe, no fundo não gostaria que saísse de perto de mim. Sempre tivemos um relacionamento de muito carinho uma com a outra. Mas ela cresceu, fui me acostumando com a ideia e tudo se materializou.


hyde park

A contratação do pacote, foi nos seguintes moldes: incluía o curso de inglês na escola Frances King e a moradia com duas refeições por dia - café da manhã e jantar. O almoço, lanches e transporte no dia a dia não estavam inclusos.

rio em londres


Quando surgiu a vontade de fazer o intercâmbio? O que te atraiu tanto nessa possibilidade?
Acho que foi de pesquisar na internet. Eu era fã do McFly, banda inglesa, desde novinha. Por pensar tanto na possibilidade de conhecê-los, virou sonho ir a Londres. Mas a viagem foi muito mais que isso. Tanto que estando lá, nem lembrava da banda.
Confesso que não achei que fosse possível, porque quando quis fazer o High School, meus pais não deixaram. Pensei que fosse por causa do dinheiro. Fiquei muito feliz quando soube que poderia ir.

Qual a sua idade quando fez o intercâmbio e quanto tempo permaneceu em Londres? Sentiu algum tipo de medo quando foi viajar?
Tinha acabado de completar 18 anos e permaneci por 12 semanas. Fui muito feliz nesse período e me senti “em casa”.
Senti medo por uns 3 minutos antes de embarcar, pela expectativa e uma espécie de ansiedade. E quando cheguei lá, senti medo de não ser aprovada na imigração. Me senti aliviada quando passei.
Quando se chega lá, é um choque e quando se tem que voltar, outro choque.

Gostou do local onde morou? E a comida, estranhou algum prato servido?
No primeiro dia não gostei do local. A dona da casa não estava e tinha pessoas estranhas, a casa cheirava a cigarro e achei tudo muito pequeno. Disse para minha mãe que achava que não queria ficar naquela casa. Porque é possível trocar de casa quando o intercambista não se adapta. Depois conheci a família que voltara de viagem e comecei a gostar. As acomodações eram boas e tinha um quarto só para mim. Talvez se eu tivesse ficado num alojamento estaria mais próximo de outros estudantes, mas gostei.
Não estranhei a comida, mas quando eles fazem macarrão, não colocam sal na água. O sal é colocado por cima. O restante, tudo normal. Teve um dia que fiz brigadeiro para a família.

acomodação intercambio

Em que estação do ano você esteve lá? Pegou muito frio?
Cheguei no final do verão, quase começando o outono. Naquele ano o verão tinha sido mais quente que o normal, (teve um Indian Summer). Depois esfriou bem, mas a temperatura mais baixa que peguei foi de 3 graus.

outono em londres

O aproveitamento do curso, foi bom? Você aprendeu algo novo?
O inglês que eu aprendi no Brasil, foi o americano. Tive então mais contato com o inglês britânico, com certas gírias, trocadilhos, coisas do dialeto popular que não aprendemos nas aulas. Essa foi minha maior aprendizagem. O curso também me abriu portas de relacionamentos com mais pessoas e fiz amizades. Por ter sido de segunda a sexta-feira durante a tarde inteira, houve mais convivência. Com alguns do grupo, ainda mantenho contato. Vão fazer parte da minha vida para sempre, mesmo à distância.

Como é o transporte e quais tipos você usou?

Usava ônibus para ir à escola (me deixava em frente) ou ia de trem e metrô. Comprei um tipo de passe que podia ir para qualquer lugar entre a Zona 1 e 3 (onde eu morava). Isso facilitou muito o meu ir e vir. Transporte eficiente e muito pontual (raramente atrasa). Não existe um descaso com a pontualidade.

transporte em londres

Você conseguiu conhecer lugares legais em Londres. Poderia citar algum favorito? Fez compras? Trouxe coisas legais na bagagem?
Meu lugar favorito era Camden Town, um bairro alternativo mais para o norte, com feirinhas, brechós, etc. Fiz todo o tour que os turistas fazem, mas chegou um tempo em que eu por me sentir muito "em casa", já não “turistava” tanto.
Minhas compras foram mais para o dia a dia e coisas para meu uso imediato. Comprei roupas que ainda uso e tinha algumas lojas que eu amava como Primark e Forever 21. Comprei livros num brechó porque era muito barato. Para alguns amigos e familiares, comprei várias lembranças como chaveiros, ímãs e snow globes, além de chás e utensílios para o lar. Apesar de não ter ido com a intenção de comprar muitas coisas, precisei comprar uma mala grande para voltar para casa.

camden town

compras em londres

Fez viagens para conhecer lugares interessantes próximos a Londres? Assistiu a algum espetáculo teatral?
Sozinha, ficou meio difícil. Alguns dos amigos que fiz, moram na Europa e não era atraente para eles fazer essas viagens. Mas sim, viajei.
Fui 
à casa de um amigo do meu tio em Milton Kings. Passei o final de semana com a família. A convivência foi muito boa.
Fiz também uma excursão a Amsterdam que foi boa, mas se fosse hoje, iria por minha conta. Fiquei meio presa com horários e o hotel ficava longe do centro da cidade. Nem deu tempo de ir à casa da Anne Frank. Amei a cidade e moraria lá, com certeza! Não tem quase carros, mas muitas bicicletas. Não existe trânsito ruim e as pessoas são muito educadas. Criaria meus filhos lá.
Quanto a espetáculos teatrais, assisti The Lion King no  West End Theatre e Billy Elliot no Victoria Palace Theatre.

Bem, essa foi a entrevista. Espero que tenham gostado.
Voltou ao Brasil como se estivesse fazendo algo que não queria, meio triste. Ficou meio “assim”, meio estranha, meio “deprê”. 
Me disse que sente falta de lá todos os dias. Mas, nossa realidade de vida é aqui. Não daria para ela permanecer por mais tempo lá. Não tínhamos recursos para sustentá-la fora do país. Tenho certeza de que no futuro irá novamente, mas por sua própria conta. 

Sou grata e ficamos felizes em poder realizar esse sonho, afinal, ela é nossa única filha. Se não fizermos por ela, para quem faremos? Outras pessoas, a gente ajuda, mas filhos... a gente faz tudo por eles!


Este post participa da Blogagem Coletiva Semanal #52semanasdegratidão de Elaine Gaspareto, cujo objetivo é valorizar e compartilhar nossas pequenas e grandes alegrias... nossas vivências e aprendizados.







14 comentários:

Profª Jac Bagis disse...

Nossa, que bacana! Seria incrível fazer um intercâmbio desse, uma ótima oportunidade de treinar o idioma e conhecer uma cultura diferente totalmente da nossa! Show de bola!

Geovana Nataly disse...

Que maravilhoso! Meu maior sonho é poder viajar, seja lá pra onde for, apenas conhecer algo novo e depois explorar o mundo inteiro. Amei! ♥

O Canto do Livro disse...

Ahhhh, que lindo!! Também tenho esse sonho de fazer intercambio, pena que o dinheiro não permite, mas quem sabe um dia né? beijos!!

Ana Maria disse...

Uma Bela Experiência! Tenho muita vontade de conhecer Londres e também melhorar meu inglês que é bem básico.
Bom Final de semana Pra Vcs!

Luana Souza disse...

Muito legal a sua ideia de fazer uma entrevista com a sua filha, pois, ao mesmo tempo que você fez parte desse sonho, você também deve ter ficado curiosa para saber como ela se sentiu. Gostei muito de ler essa entrevista, e fiquei imaginando quando conseguirei realizar esse meu sonho *-*

SÔNIA R.B. disse...

Parabéns são oportunidades únicas, quanta experiência.
Beijocas

Nana Araujo disse...

Lá é outra vida mesmo. Seremos presenteados com a viajem de 2 semanas a londres quando ficar bom pra nós (quem vai dar será meu cunhado, pra mim e o marido) e tenho medo dessa.parte, dá volta hahahahaha
Uma tia do meu marido mora lá a anos e sem chance de voltar, já tem duas pequenas londrinas, muito melhor que fiquem por lá!
Uma das nossas exigências é conhecer Stonehenge!

Beijos

Jô Turquezza disse...

Adorei as respostas. É muito importante para nossos filhos irem morar sozinhos um pouco,
eles adquirem conhecimento e autonomia.
Tenho um filho que mora na Austrália, já fui duas vezes para lá.
E quando volto, meu coração fica lá com ele e minha neta.
joturquezzamundial
Beijos.

Érika Monteiro disse...

Oie, tudo bem? Que entrevista mais interessante. Estudar, conhecer lugares diferentes, crescer como ser humano, amadurecer, isso com certeza nos transforma em pessoas melhores. Amei as fotos, uma mais linda que a outra. Imagino o quanto ela deve ter ficado triste ao retornar depois de ter conhecido um lugar tão incrível. Ótimo post! Beijos, Érika =^.^=

Kassia Gular disse...

Realmente, uma experiencia sensacional e que abre muitas portas, queria muito ter feito quando mais nova, mas não me planejei e meus pais não tinham condições de me ajudar nisso, mas parabéns por essa conquista.
Bjs ♥

Tanise Silveira disse...

Aaaaaaah, que sonho!
Deve ter sido sensacional! ♥
Adorei saber mais, ultimamente tenho pensado muuuito sobre fazer intercâmbio ♥

Viagens e Beleza disse...

Olá,
Uma experiência destas certamente preparou mais ainda a sua filha pra vida!
Beijos,
Ana
http://www.viagensebeleza.com/

Chris Ferreira disse...

OI Quel, eu estou louca que a minha faça o intercâmbio, mas ela ainda não quis. Vendo o seu post eu fique com mais vontade ainda que ela faça. Mas não posso forçar a barra. Preciso esperar o tempo dela. Eu sei que uma hora ela vai se convencer.

Também estou na BC da Elaine com este post aqui: Viajando por aqui

beijos
Chris

Roselia Bezerra disse...

Boa noite, querida Quel!
Oxalá todos jovens pudessem fazer um!
Suceso!
Bjm muito fraterno